Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Neta da Luísa

A Neta da Luísa chama-se Bárbara. Tem 23 anos e um gosto incalculável pela escrita, moda, lifestyle e beleza. Não é uma expert em nenhum dos assuntos, mas tem uma paixão imensa por todos eles.

A Neta da Luísa

Uma família para todas as crianças

O dia do pijama celebra-se no dia 20 de novembro de cada ano. Este ano, como a data calhou a um domingo, é hoje o dia em que todas as crianças (ou quase) vão para a escola de pijaminha. 

Este dia tem o intuito de sensibilizar todas as crianças para a importância de ter e crescer numa família. E realmente, na minha perspetiva, faz sentido. Só ousamos estar de pijama junto daqueles que nos são próximos e que nos fazem sentir em casa.

 

Infelizmente, ainda são muitas as crianças que não têm a sorte de viver num meio familiar ou de desfrutar do conforto que é ter alguém sempre presente. E isso toca-me. Fere-me o coração saber que ainda há pequenotes por aí que desconhecem o conceito familiar. Que não tem uma mãe ou um pai a ir buscá-los à escola todos os dias. Alguém que lhes conte uma história antes de dormir e que os chame de manhã para os acordar. Que não tem ninguém que os mime e os cuide como é o seu direito. E acima de tudo, como é o dever de alguém.

Desde sempre me lembro de ter uma vontade imensa de, um dia, adotar uma criança. E é precisamente por achar que todas merecem ter uma família que sempre tive este sonho. Admiro todas as pessoas que adotam. Que optam por reconhecer como suas as crianças que não lhes saíram do corpo. Que amam incondicionalmente, independentemente dos laços de sangue ou da ligação genética. Que educam os filhos das amarguras da vida como se dos seus filhos se tratasse. Aliás, trata-se. Porque quando se adota, as crianças passam a ter pais - e passam, também, a ser filhos de alguém. 

A família é um elemento estrutural na construção da personalidade de alguém. Eu própria, não imagino o que seria de mim hoje sem essa referência familiar. Não me imagino orfã dos valores, das ideologias e dos princípios que me foram incutidos desde que me comecei a tornar pessoa.

Todas as crianças precisam de alguém que as guie. Todas as crianças precisam de alguém que as ame. Todas as crianças necessitam de alguém que as reconheça como suas e sinta a responsabilidade de as transformar em adultos realizados, felizes e com um suporte que lhes permita manter a firmeza perante as adversidade da vida. 

 

Se até os adultos precisam, quanto mais as crianças.