Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Neta da Luísa

A Neta da Luísa chama-se Bárbara. Tem 23 anos e um gosto incalculável pela escrita, moda, lifestyle e beleza. Não é uma expert em nenhum dos assuntos, mas tem uma paixão imensa por todos eles.

A Neta da Luísa

Quanto tempo duram as saudades?

 

Mira 13 junho (28).JPG

Mira 13 junho (12).JPG

 

 

DSC01543.JPG

DSC01578.JPG

 

 

11 de Março de 2017

 

Há muito tempo que não te escrevo. Não porque me tenha esquecido de ti, mas porque a realidade de não te poder dizer as coisas cara a cara ainda me dói. Não posso dizer que não sou feliz desde que te perdi. Sou feliz, mas não tanto como se te tivesse aqui. Hoje, teria mil e uma coisas para partilhar contigo. E sei que dessas mil e uma, tu te orgalharias de todas elas. Hoje, penso como seria se ainda não te tivessem levado de mim. Eu, quase três anos mais madura. Tu, com mais três anos de rugas, de orgulho, de sabedoria e mau feitio. Penso na quantidade de coisas que podíamos fazer juntas. Nas que nunca fizemos e em todas aquelas que podíamos repetir. Tenho tantas saudades. Tanta vontade de ir contigo as compras, ao correio, ao centro de saúde, à farmácia. Tanta vontade de te levar a lanchar, de te ter cá em casa a almoçar. De te arranjar as unhas. Ainda me lembro do quando criticava a forma como te vestias as vezes - bolas com flores e lenços que não tinham nada a ver. Hoje só crítico o facto de já nem poder ver-te vestir. 
Sempre me conheceste tão bem... E mesmo assim partiste sem conhecer a mulher em que me tornei. A mulher que estou a tentar construir. A mulher que tento ser todos os dias... E que em muito é parecida contigo.
Tiram-me a pinta mal me olham nos olhos. "És canteira", dizem-me. E eu encho-me de vaidade e saudade - porque sei que o que me querem dizer é que trago o teu feitio no meu. 
Será que também sentes saudades minhas? Será que te orgulharias de mim agora, tão igual a ti? 
Os quase três anos sem te ver não significaram tempo nenhum sem te sentir. Porque tu estás em tudo. Sempre estarás em tudo: no que uso, no que penso, no que faço, no que sonho, no que realizo. Há tanto que ainda podia ser dito se não me tivesses deixado assim. Há tanto que ficou por fazer. Mas o que mais dói é tudo aquilo que acabaste por não ver: o fim do meu curso, o meu primeiro emprego, o meu primeiro ordenado, o meu namorado, o meu mundo - que agora tenho de fazer girar mesmo sem ti aqui. Mas, estejas tu onde estiveres, nunca sais de mim. Porque o que somos, o que temos e aquilo em que acreditamos é eterno, sim? 
 
Diz-me avó, quanto tempo duram as saudades?

Sem nada de jeito para dizer #6

IMG_20170310_104421.jpg

 

 

 

Bom dia gente, 

 

Sei que as notícias têm sido escassas mas estes horários, apesar de pequeninos e compartimentados, ainda não estão dentro dos meus hábitos. Por vezes, as horas que tenho livres parecem dar-me para imensa coisa, faço imensos planos, programo mil e uma tarefas mas, depois... O tempo passa a voar. 

Hoje tive o dia de folga, só vou dar a aula à tarde. E estas manhãs sem o despertador a tocar ás 5h45 sabem-me a um pedaço de céu. Poder estar em pijama, tomar o pequeno almoço nas calmas, abrir a janela do quarto, deixar entrar o sol e aproveitar para trabalhar - porque o meu trabalho vai além das horas no Lidl ou da hora da aula - é preciso planificar, arranjar recursos, pensar em estratégias e, ainda... tentar ir atualizando o blog e criar conteúdo. 

E vocês? Não me têm dado novidades. Contem-me como anda essa vida 

Um bom dia [ com este sol fantástico, só pode ser não é? ]

Comi a melhor francesinha do mundo?

IMG_20170307_210642.jpg

IMG_20170307_205933.jpg

IMG_20170307_210455.jpg

 

 

Eu e o P. fazemos hoje três anos de namoro - e sim, parabéns a ele por ter a ousadia e a coragem de me aturar à tanto tempo. Inicialmente, não tinhamos nada planeado. Mas eu, cedendo ao pecado habitual da gula, andava há muitooo tempo a fazer o choradinho para ir provar a francesinha do Aquiline, um bar muito giro aqui da zona: ouvia falar dela várias vezes; a página do facebook do estabelecimento colocava fotos que dava dores no coração só de nos imaginarmos sem provar aquela delícia e pronto, chegou a um dia que não deu para aguentar mais - e eu juro que dei, internamente, pulos de alegria quando o P. se virou, no fim de semana, e disse: "- Estava a pensar levar-te a provar a Francesinha."

A Minnie Me escreveu recentemente um post sobre a mesma, já que foi lá pelo dia dos namorados. Por isso, se não acreditam que aquilo é assim mesmo de comer e chorar por mais, vão ao blog dela e leiam a opinião. Aposto que, se não acreditarem em mim, acreditam na Minnie Me, que é uma das bloggers mais fiáveis cá do sítio. 

 

A francesinha prima pela diferença e originalidade. Ao invés do molho a que já todos estamos habituados e que se torna um bocadinho "mais do mesmo", esta tem um molho de cebolada, o que a torna  uma francesinha bem portuguesa e... MELHOR! Achei-a mais leve que a normal, o que, para mim, foi um ponto forte. Mas, sinceramente, nem sei do que gostei mais - se da francesinha, que comi até à ultima batatinha (e, acreditem, vinha super bem-servida!) se da sangria de frutos vermelhos que já me fez custar um bocadinho sair da cadeira  Fresca, deliciosa, e com um travo a hortelã que a torna... irrepreensível. Foram dois jarros para nós os dois e, acreditem, não fossem as nossas responsabilidades... e acho que iam outros tantos!

 

O Aquiline é, sem dúvida, um sítio que nos faz ter vontade de voltar. E voltar. E voltar. E, se pudesse, voltava já hoje para provar as outras iguarias que lá têm! Gosto do aconchego que se sente logo à entrada, da média luz que lhe dá um ar muito acolhedor e da simpatia, disponibilidade e cuidado dos donos, que não falham nas sugestões e na preocupação com a satisfação do cliente. 

 

São estes  projetos que nos fazem ter orgulho das pequeninas terras em que vivemos. E nos fazem admirar as almas aventureiras que não têm medo de pôr mãos ao negócio e ao trabalho, mesmo com todos os riscos que tal acarreta. O sucesso vem quando se trabalha com gosto e dedicação. E este é, sem dúvida, um caso de sucesso. 

 

Se ficaram já a babar-se, não percam tempo - 967 067 662 - basta ligarem e marcarem. 

E, se querem ter ainda mais provas de que tudo o que estou a dizer não são balelas, passem na página do Aquiline e deixem o vosso like. No entanto, correm o sério risco de serem bombardeados com imagens altamente tentadoras. Depois não digam que eu não avisei